Bar Bodega: um crime de imprensa

Após o assassinato de dois jovens de classe média alta em um bar em São Paulo, no dia 10 de agosto de 1996, houve uma série de situações relacionadas com a imprensa e a justiça. Esses fatos foram relatados no livro escrito por Carlos Dorneles (2006), “Bar Bodega: Um crime de imprensa”.

Nesse dia, quatro homens e uma mulher participaram do assalto ao Bar Bodega, localizado no bairro Moema, lugar frequentado pela elite paulistana. A estudante de Odontologia, Adriana Ciola, de 23 anos, e o dentista José Renato Tahan, de 26 anos, foram assassinados com dois tiros à queima-roupa. Por estar em um bairro nobre de São Paulo, o fato fez com que a repercussão fosse rápida nas capas e manchetes dos jornais. A população paulistana pediu a solução imediata do caso.

A polícia ficou pressionada. A imprensa, que desejava obter informações exclusivas, publicava a versão oficial, sem apurar nenhum fato. Por outro lado, a polícia informava que o caso estava sob controle. Essa relação entre imprensa e polícia fez com que nove jovens negros fossem acusados injustamente pelo crime.

O que a imprensa não sabia – e não procurava saber – era o fato que os suspeitos pelo crime foram torturados pelos policiais para confessar contra a vontade deles. Esse drama vivido pelos acusados durou alguns meses, até que um promotor iniciou uma investigação paralela à da polícia.

A verdade começou a vir à tona. Sete dos nove acusados foram liberados por insuficiência de provas, outros dois ficaram presos por crimes anteriores, mas que não tinham ligação com o crime do Bar Bodega. Esses fatos não foram publicados com a mesma intensidade pela imprensa, o que prejudicou a vida social dessas pessoas, pois ficaram marcadas para o resto de suas vidas por essa acusação.

Ao final da investigação, com a prisão dos verdadeiros culpados, a imprensa continuou se omitindo. Não publicou nada em relação à ação do promotor, que solucionou o caso, nem sobre as informações erradas publicadas por eles mesmos.

Kelton Pinho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s