A carestia disfarçada de desconto

Quando a abusividade do dono de empresas tem respaldo

A decisão da Agência Nacional de Avião Civil – Anac, em permitir que as companhias aéreas cobrem dos passageiros pelas bagagens despachadas, gerou insatisfação ao consumidor, sobretudo aos nortistas, que há tempos sofrem com a má distribuição da malha aérea na região e com o alto preço das passagens.

Para os acreanos, então, a situação é ainda pior. Isso porque, atualmente, os aeroportos do estado só operam com voos noturnos, tanto nas partidas quanto chegadas. A única exceção é o voo direto da Gol Porto Velho/Rio Branco, que pousa na capital acreana as 11:55h e tem saída às 12:25h.

Para qualquer outro lugar do país, os passageiros que saem do Acre passam por no mínimo uma escala ou conexão. Para ir a Manaus antes havia voo direto com duração de 2h, mas hoje é preciso fazer ao menos uma conexão em Brasília, em viagem que dura entre 7 e 12 horas. Além disso, apenas duas companhias atuam no estado: LATAM e GOL.

A LATAM começou as alterações na cobrança em maio. A GOL iniciou a cobrança extra das bagagens em junho e apresentou uma nova categoria de preços para os viajantes que não precisam despachar bagagem. Em ambas, os passageiros pagarão em média entre R$ 30 e R$ 120 reais para voos domésticos, e entre U$ 10 e U$ 90 dólares para os internacionais, com valor convertido de acordo com a cotação do dia.

Vale ressaltar que esta mesma companhia aérea, quando começou a cobrar por alimentos em seus voos, alegou que as passagens ficariam mais baratas, o que não aconteceu. E o mesmo pode estar a se repetir agora. Em uma pesquisa rápida no site da empresa, é possível perceber que em vez de diminuir os valores, houve um aumento nos preços das passagens.

Agora, além de passar por uma verdadeira “saga” para viajar de avião, o acreano, assim como os demais consumidores de todo o país, terá que desembolsar ainda mais dinheiro se quiser levar suas malinhas…Para as empresas, um “negócio da China”! Para o consumidor, menos dinheiro na carteira.

Em tempo, o Ministério Público do Acre anunciou que instaurou um procedimento, através da Promotoria de Defesa do Consumidor, para monitorar se de fato as empresas estão cobrando mais barato pelas viagens. Em 2016, o órgão chegou a ajuizar uma Ação Civil Pública contra as empresas aéreas pelas cobranças abusivas. A nós, consumidores, só nos resta uma alternativa: aguardar…

Gercilene Carvalho

Anúncios