O esporte radical acreano

Esquecido, é o que vemos nos dias atuais no estado do Acre. Os esportes como o skate, patins, BMX e outros, “sobrevivem’’ por meio de ajuda de terceiros que se solidarizam em manter competições simbólicas para os poucos que restaram. Excepcionais atletas desistiram no meio do caminho por falta de apoio do governo, exceto em ano de eleição, quando representantes posam para fotos e tudo é às mil maravilhas. Para eles, claro.

Os mais interessados em seguir carreira necessitam sair do Acre em busca do seu sonho. Pagam suas passagens, arranjam hospedagem e sempre são bem representados no cenário nacional, mas, pouco vistos pela própria população. A mídia acreana reforça essa situação pois ainda está à parte desses esportes, focada no futebol que está disputando a série D. A pergunta é, por quê?

O que resta aos praticantes é treinar e esperar que um dia algo revolucionário aconteça. E que aquilo que é visto como uma brincadeira de criança e adolescentes seja respeitado como um esporte como qualquer outro.