SIM! O diploma é necessário

O diploma para o jornalista é tão importante quanto para a medicina ou o direito. Quem arriscaria sua vida a um médico ou um caso a um advogado sem formação? Da mesma forma, o jornalismo deve ser tratado! Então, por quê confiamos a informação àqueles que não têm formação acadêmica?

Além de um bom texto e domínio sobre a gramática, é de relevância que o jornalista tenha um conhecimento vasto que inclua tanto as ciências humanas como as sociais. E é na academia que o jornalista terá acesso a essas ciências, assim como também a oficinas práticas de redação e assessoria, podendo assim exercitar de forma adequada todo o seu conhecimento nessas áreas.

Não estou menosprezando aqueles que atuam sem diploma. Mas muitos são os casos em que o “jornalista” é indicado por afetividade sem ter instrução técnica e/ou ética e acaba sendo influenciado em suas notícias, ou até criando notícias inventivas por falta de apuração, ou ainda, plagiadas como somos costumados a ver.

De acordo com o Art. 7° do Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros, “o compromisso fundamental do jornalista é com a verdade dos fatos, e seu trabalho se pauta pela precisa apuração dos acontecimentos e sua correta divulgação”. Portanto, o trabalho do jornalista deve ser direcionado unicamente ao interesse público, à sociedade.

Com a baixa valorização do jornalismo, já não é mais tempo de brincar de ser jornalista. É hora de arregaçar as mangas e fazer o serviço bem feito. Sem notícias tendenciosas ou pejorativas. Esse é o momento de pôr em prática o conhecimento, com ética e compromisso com a população.

Andressa Pires

Anúncios